Saturday, April 03, 2010

Bênção (trecho)


(Charles Baudelaire)

Quando, por uma lei das potências supremas,
O Poeta vem surgir neste mundo aborrido,
Sua mãe espantada e com vozes blasfemas
Crispa as mãos para Deus que a escuta condoído:

-"Ah que eu não dei à luz um nó de cascavéis,
Em vez de alimentar esta única irrisão!
Maldita a noite, a dos prazeres mais cruéis,
Em que gerou meu ventre a minha expiação!"
...

2 comments:

Rafael "Lone Wolf" said...

Er... hmm... *pensativo*

Lady said...

baudelaire, dear...
é sempre profundo...