Tuesday, August 31, 2010

A person is, among all else, a material thing, easily torn and not easily mended.

Sunday, August 29, 2010

thoughts

I am not weird. I am just more alive than you.
E se a chuva vier de repente bem forte, com quem irei para o meio da rua?

Saturday, August 28, 2010

thoughts

“People usually complain that music is so ambiguous, and that they are supposed to think when they hear it is so unclear, while words are understood by everyone. But for me it is exactly the opposite. … What the music I love expresses to me are thoughts not too indefinite for words, but rather too definite.”

Friday, August 27, 2010

You tell me that everything is rented. That even my time, is borrowed. Well, sir, at least my thoughts are my own.

Thursday, August 26, 2010

I'm a picture without a frame.
A poem without a rhyme.
A car with three wheels.
A sun without fire.
I am a gun without bullets.
I am the truth without someone to hear it.
I am a feeling without someone to feel it.
This is who I am.
A mess.
Something beautiful.

thoughts

Wednesday, August 25, 2010

Your daily fortune

Make yourself necessary to somebody.

Tuesday, August 24, 2010

Saturday, August 21, 2010

She thought about her life and how lost she’d felt for most of it. She thought about the way that all truths she’d been taught to consider valuable invariably conflicted with the world as it was actually lived. How could a person be so utterly lost, yet remain living?
Dear Future You,

Hold on. Please.

Love,

Me.


Dear Current You,

I’m holding on. But it hurts.

Love,

Me.


Dear Past You,

I held on. Thank you.

Love,

Me.

Friday, August 20, 2010

Thursday, August 19, 2010

"Eu vou pagar a conta do analista pra nunca mais ter que saber quem eu sou."
(Cazuza)

Sunday, August 15, 2010

Às vezes...

Tem dias como hoje, que bate uma saudade de... ficar bêbada pra caray.

É estranho admitir isso, já que tem bebida em tudo quanto é canto, inclusive aqui em casa.

Lucky Strike amarelo na mão, dançadinha no meio do quarto e das boates e a lembrança de quanto eu era praticamente a Cristiane F, que chegava em casa sem saber como e contava os membros pra saber se estavam todos nos seus lugares exatos.

Eu fiz uma escolha, não parei de beber, mas não tinha condições de manter "aquela vida" de começar a beber sexta e parar no domingo. De entrar em uma boate cheia de puta e me divertir porque tinha bebida liberada, de ir fechando os bares e amanhecer na padaria.

Somente os drogados e bêbados entenderão o que é uma repentina saudade de viver na merda.

É a carência coberta.

Não troco minha vida de hoje por essa, que hoje parece tãooo antiga, não troco nem um grão, sei de tudo que me faltava e que tenho hoje. Sei da satisfação que me dá tudo o que tenho, de todas as coisas que não podia fazer porque sempre faltava dinheiro.

É não ter onde se esconder quando sente falta de alguém, de ter que encarar, de ser só e somente você, seus pensamentos e sua vida. Sem álcool, sem esconderijo secreto.

Quando senti falta mais cedo, era exatamente disso que sentia falta, de poder me esconder em qualquer copo, de ficar tão doida que esqueceria do meu nome e de qualquer pessoa, naquele lugar escondido da cabeça que você não consegue e nem precisa pensar em mais nada. A não ser na satisfação de ser uma pessoa vazia, sem anseios, sem saudade, sem ambição, de não ser nada pra ninguém, nem pra si. De ser uma folha ao vento, nem que fosse por algumas horas. É acessar aquele resquício de vida sem responsabilidade, de sair correndo pro nada e querer lá ficar.

Mas eu não posso ficar lá, porque lá não tem nada, e sei disso.

Por isso vou voltar pra minha vida, a vida que escolhi, porque se eu pensar bem, não preciso fugir nada, tudo se encaixa.

Principalmente os erros

...e foram tantas coisas que a fizeram chegar até ali.
Tantas pessoas,
tantas escolhas,
tantos lugares...
cada erro ou acerto tornou-a
o que ela é.
When I’m hurting, I withdraw from the world. My walls come up. I shut everyone out. I go inside myself. It seems safe there. No one can penetrate those walls. No one can come in and cause further pain.
I began to measure things in absence instead of presence.
I exhale a melancholy breath of emptiness.
If life was a song, would you spend most of it worrying about how it ended?

If life was a song, would there be meaning in the sound?

If life was a song, would you, please, sing it with me?

thoughts

Thursday, August 12, 2010

Descobri que não presto




-
Trapaceio
- DETESTO fanáticos religiosos
- Falo palavrão mais que o normal
- Dou risada da desgraça alheia
- Sempre torço pro mocinho se ferrar no final
- Gosto de me sair bem e que se fodam os outros
- Não escondo meus podres
- Rio com quem não sabe dançar
- Minto pra crianças
- Ensaio reclamações
- Finjo de bebado, sonolento, triste
- Não dou esmola aos pobres
- Meu sonho é estrangular aquela pessoinha
- Insisto tanto em algumas mentiras que acabo acreditando nelas
- Meu sonho é ver um disco voador
- Se eu concordar com tudo é pq eu nao to nem aí pro que vc tá falando
- Da escola de malandragem que você estudou, eu fui expulsa
- Então não se apaixone por mim, eu não presto.

Tuesday, August 10, 2010

Tuesday, August 03, 2010

“Communication. It's the first thing we really learn in life. Funny thing is, once we grow up, learn our words and really start talking, the harder it becomes to know what to say. Or how to ask for what we really need.”

thoughts