Wednesday, February 09, 2011

Não Digas Nada!



Não digas nada!
Nem mesmo a verdade
Há tanta suavidade em nada se dizer
E tudo se entender —
Tudo metade
De sentir e de ver...
Não digas nada
Deixa esquecer

Talvez que amanhã
Em outra paisagem
Digas que foi vã
Toda essa viagem
Até onde quis
Ser quem me agrada...
Mas ali fui feliz
Não digas nada.

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

4 comments:

sigarofalo said...

=)

Esculpindo Ilusões said...

Voltei...
Amo Fernando Pessoa.
Beijusss

Carol P. said...

Lindíssimo o teu blogue! De uma sensibilidade que até põe certo desvario (bom) na gente, em nós todos que aqui contigo e com esse tudo imenso de você. Vim por cá... na querência de voltar sempre. Pois que isso o meu agora tanto mais sempre. Apreciei, de um muito, as palavras, as imagens, os sons que, mesmo em sonoridade silenciosa, num talvez de por vezes mineirice nossa (eis o que compartilhamos, ainda ao longe, mas Alterosas de ambas), enfim, te saudadeio já, apesar de um primeiro ter contigo em virtualidade-devaneio, esse mesmo frenético mas que sincero apreciável de coisas todas tuas cá... Demais da conta do que gostei-tudo deste seu espaço... Agora um dionisíaco momento em que te (d)escrevo imagem, tomando de ti muitas notas interiores, mas que pra mim um tudo de palavras-gesto, e de um momento-mágica, e de uma honra-insanidade boa - esta de a gente vir tendo com a arte, em minúscula mesmo, pois que assim mais graça... Te parabenizo num de sinceros zigues todos meus, gauches, gauches sempre, mas que aqui sinceros de uma apreciação muito tudo grande deste lindo espaço teu que vejo agora... Parabéns por tudo o que li até então, e que vi entremeando e entranhando a gente, minha nossa, até num de psiu-eu-volto... Abraço imenso pra ti, agraciada eu de ter tido a chance de vir ter com tão intrigantes ímpetos... bons... demais mesmo da conta!

Lady said...

Não sei nem o que falar, Carol, além, de muito obrigada! :)